Prótese fixa: o que é e como funciona

prótese fixa
6 minutos para ler

O Brasil tem mais de 16 milhões de pessoas que perderam todos os dentes da boca. Além de afetar a autoestima, essa perda prejudica a alimentação e prejudica a saúde. Apesar de a dentadura móvel ajudar bastante nesses aspectos, ela não oferece a naturalidade e a segurança que a maioria deseja. Portanto, uma boa alternativa para essa reposição é a prótese fixa, um tipo de implante dentário total.

Segura, esteticamente agradável e com alta durabilidade, a prótese fixa traz outras diversas vantagens para o usuário. Para quem deseja fugir das tradicionais dentaduras, é a opção mais avançada desenvolvida pela Odontologia. Conheça:

O que é prótese fixa?

Também chamada de dentadura fixa ou prótese dentária protocolo, a prótese fixa é aquela que não pode ser removida pelo paciente e, por isso, não necessita ser retirada da arcada dentária para limpeza ou durante o sono. Como o nome indica, a prótese fixa fica permanentemente na boca, como se fosse uma arcada dentária natural, e só é removida para eventuais manutenções (quando há necessidade). Para quem teme que ela caia enquanto come, ri, fala ou pratica algum esporte, essa é a solução ideal.

A prótese fixa é indicada principalmente em duas ocasiões: 

  • para quem teve perda total dos dentes, já faz uso de dentaduras e deseja colocar próteses com resultado natural;
  • para quem está prestes a ter perda total e quer restaurar grande parte ou toda a arcada.

Como funciona?

Para fixar a prótese, o implantodontista instala implantes tanto na maxila quanto na mandíbula. Por isso, o paciente passa por um procedimento cirúrgico para sua colocação. Mas nem todos estão aptos a passar pela cirurgia.

O paciente que deseja usar próteses fixas precisa ter uma boa densidade óssea na arcada dentária. Com a perda dos dentes, ela acaba diminuindo, mas precisa estar em boa quantidade para sustentar os implantes. Caso seja muito baixa, é preciso fazer uma cirurgia prévia de enxerto ósseo. No entanto, na maior parte dos casos ela não é necessária.

No geral, o implantodontista insere de 4 a 8 pinos para sustentar e parafusar a prótese.

Quais as vantagens da prótese fixa?

Veja quais benefícios a prótese aliada ao implante pode proporcionar:

Oferece tecnologia de ponta

A prótese fixa é considerada o que há de mais moderno na Odontologia para a reabilitação dentária tanto da maxila ou da mandíbula. 

Evita constrangimentos

Há diferentes métodos para manter uma prótese móvel presa na boca. Adesivos, cremes e pós prometem deixá-la fixa por um bom tempo. No entanto, sempre há a insegurança de que ela se solte em um momento inoportuno. Isso não ocorre com a prótese fixa.

Por ela estar presa aos implantes, não há risco de que ela se solte. Além disso, o paciente não precisa se preocupar com nenhum outro recurso que a mantenha no lugar. Por fim, o conforto durante a alimentação é muito maior, pois a dentadura fixa não tem a mobilidade da prótese removível.

Traz naturalidade ao sorriso

Uma boa prótese fixa é tão semelhante a dentes naturais que é quase impossível ver diferenças. Por preencher uma área extensa, não há perigo de contraste entre o que é artificial e orgânico. Além do mais, a prótese é feita com base na anatomia do paciente, portanto respeita as proporções faciais.

É mais confortável

Além do lado psicológico (a despreocupação com a queda da prótese deixa o paciente mais tranquilo) e de uma melhora da autoestima com a naturalidade do sorriso, a prótese fixa também é mais confortável por se fixar melhor. Como a dentadura muitas vezes não tem uma boa aderência, ela acaba machucando e cortando a gengiva, causando sangramentos e até aftas.

Outro detalhe importante é que o conforto também se prolonga na alimentação, já que essa boa aderência traz estabilidade. Portanto, o paciente se sente mais confortável em comer em qualquer local público.

Tem maior durabilidade

De tempos em tempos, é necessário trocar a dentadura móvel. Ela acaba ficando com a pigmentação escura e a resina desgastada, o que prejudica a parte estética do sorriso — como se o paciente não cuidasse adequadamente dos dentes. Além disso, por não haver dentes fixos na região, a gengiva continuará sofrendo com a perda da densidade óssea. 

Muitas vezes a questão não é o material ou o cuidado com a dentadura, e sim a boca do paciente que não se adapta mais ao aparelho. 

E ainda há outro problema: em média, uma dentadura móvel deve ser trocada a cada 4 anos. Mas como o usuário não percebe que a densidade dos tecidos orais diminuiu, quando ela finalmente resolve trocar a dentadura móvel, tem muito mais dificuldades. A região está perdendo a capacidade de suportar o contato de próteses móveis novas e mais ajustadas.

O problema, portanto, não é apenas estético, e sim de saúde. 

Embora as próteses fixas mais comuns também possam ser confeccionadas em resina acrílica (usada para a dentadura móvel), também é possível produzi-la em porcelana sobre estrutura de metal e zircônia. Por ser fixada com implantes osseointegrados, o desgaste é significativamente menor, e a retração gengival também demora um pouco mais a acontecer. No geral, as peças de porcelana sobre metal precisam ser trocadas a cada 7 ou 8 anos; já as de zircônia podem durar mais de 10. 

E quais as desvantagens da prótese fixa? A higienização necessita de mais cuidados — um pouco mais que a escovação convencional. Portanto, o paciente precisa seguir todas as orientações do implantodontista para a limpeza correta. Há também o custo maior, por ser uma tecnologia de ponta. Mas as vantagens em curto, médio e longo prazos justificam o investimento.

Como fazer a manutenção da prótese fixa?

O paciente deve escovar os dentes pelo menos 3 vezes ao dia, mas sem abrir mão do fio dental e da escova interdental para alcançar os espaços mais difíceis. Senão, pode acumular resíduos na prótese.

Além da higienização, o paciente precisa ir ao implantodontista pelo menos uma vez ao ano para verificar a adaptação e fazer uma limpeza completa.

Como visto, a prótese fixa traz uma série de vantagens ao paciente. Se você passou pela perda total ou parcial dos dentes, faça uma consulta na Qualimplan e veja se é possível passar pelo procedimento!

Você também pode gostar

2 comentários em “Prótese fixa: o que é e como funciona

    1. Olá Lourdes, por uma norma ética do Conselho Regional de Odontologia não podemos através de nenhum canal informar valores, isso porque o tratamento para cada paciente é individual e requer uma minuciosa avaliação com o especialista. Mas podemos te garantir que nos dias atuais a tecnologia tornou o tratamento com implantes bem mais acessível, além de trazer todo conforto de mastigação e qualidade de vida com sorriso renovado. Caso tenha interesse estamos a disposição para realizar sua avaliação 😉

Deixe uma resposta

-