Cirurgia de frenectomia em São Paulo: quais as indicações e como é feita?

4 minutos para ler

A cirurgia de frenectomia ganhou muita força nos últimos anos. Embora várias pessoas não saibam, ela é usada para cortar e remover o freio, uma “membrana” presente na boca, que pode estar na parte superior ou por baixo da língua.

Ficou curioso e quer entender melhor sobre o procedimento? Então, este post é para você. Leia o artigo até o final e saiba em que situações a cirurgia é indicada e como é feita, entre outros aspectos relacionados ao assunto.

Afinal, o que é a cirurgia de frenectomia?

Como já foi colocado, é um procedimento que consiste em cortar e remover o freio, um tecido fibroso presente na boca. Em algumas situações, basta fragmentar ou separar essa região, alterando o nível de inserção nos tecidos moles, já que o freio é dividido ou tem seu tamanho reduzido. Nesse caso, o procedimento é conhecido como frenotomia.

Em outras situações, o profissional precisa tomar medidas mais incisivas. No caso da cirurgia de frenectomia, o freio é removido.

Quais são as indicações para o procedimento?

A cirurgia é necessária em alguns casos. Entre os mais comuns estão diastema interincisivo (separação dos dentes associada à presença das fibras), limitação de mobilidade do lábio, motivos estéticos (como sorriso gengival), alterações da fonética e limitação de movimentos da língua.

Como a cirurgia é feita?

O procedimento pode ser realizado de duas formas e, de modo geral, é simples. O método mais tradicional é feito com bisturi para corte ou secção do freio, com o objetivo de realizar sua remoção parcial ou total. Depois disso, o profissional coloca os pontos para a recuperação da região.

A cirurgia a laser é outra alternativa e substitui o bisturi tradicional pelo elétrico. O tempo para gasto para sua realização é menor, já que, além de cortar, também promove a coagulação e esterilização. Por isso não implica sutura e também reduz o edema (inchaço causado pelo acúmulo de líquido) assim como o trauma dos tecidos moles.

Vale destacar que tudo é feito com anestesia local, então o paciente não sente nenhum tipo de dor. O pós-operatório também costuma ser tranquilo, sem grandes complicações.

Existe possibilidade de riscos ou complicações?

Os riscos são muito reduzidos em um procedimento desse tipo, mas podem acontecer algumas complicações pós-operatórias como dor, sangramentos, inflamação, pequenas hemorragias ou infecção.

Caso a cirurgia não seja executada de forma correta, as chances de sangramento excessivo aumentam, pois existe a possibilidade de lesionar estruturas vizinhas (principalmente no caso do procedimento lingual). Ainda assim, essas situações podem ser reversíveis e não deixam nenhum tipo de sequela ou problemas maiores.

Quanto custa o procedimento?

O valor médio da cirurgia não é alto, mas como o procedimento pode variar, dependendo do tipo de freio e técnica (ou ainda do método utilizado), apenas o dentista ou médico pode calcular com exatidão. Para ter essa informação, não deixe de marcar uma consulta.

Como escolher uma boa clínica em São Paulo?

Para escolher uma boa clínica em São Paulo, passando pelo procedimento com tranquilidade, pesquise sobre aquelas que têm profissionais com experiência e conhecimento no assunto. Essa é uma forma de ter a segurança que você, como paciente, precisa.

Além disso, procure um acompanhamento antes e depois da cirurgia. Assim você conta com suporte em caso de possíveis dúvidas e complicações.

Agora que você entende um pouco melhor como funciona uma cirurgia de frenectomia, procure um profissional especializado para saber se essa é realmente uma necessidade no seu caso. Afinal, ele é a pessoa mais indicada para fazer esse tipo de avaliação

Gostou do nosso conteúdo? Então, assine a nossa newsletter agora mesmo e receba nosso material diretamente no seu e-mail!

The following two tabs change content below.
Drª Talitha

Drª Talitha

A Drª Talitha de Cássia Silva Sousa tem 7 anos de atuação na área de odontologia e mais 9 anos de dedicação a área de prótese e reabilitação. Graduou-se em 2011 pela Faculdade de Odontologia de São José dos Campos — UNESP. Em 2014 tornou-se Mestre em Odontologia Restauradora, Especialidade de Prótese Dentária por meio do Programa de Pós-graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia campus de São José dos Campos. Desde 2017 cursa Especialização em Ortodontia por meio da Instituição Ortogeo em São José dos Campos, unidade de ensino FACSETE — Faculdade de Tecnologia de Sete Lagoas.
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-