Retração gengival: entenda porque esse problema acontece

7 minutos para ler

A cada 3 pacientes com mais de 30 anos, pelo menos um apresenta gengiva retraída em dois ou mais dentes. Mas você sabe o que é esse problema e por que ele acontece? Além do fator estético, a gengiva retraída pode trazer outros prejuízos ao paciente, como sensibilidade e dor nos dentes.

Quer saber mais sobre o assunto? Entenda, neste post, o que é a retração gengival, por que ela acontece e quais os tratamentos oferecidos pelos dentistas.

O que é gengiva retraída e quais as suas consequências?

A retração gengival também é conhecida como recessão gengival ou gengiva retraída. Esse problema acontece quando há uma diminuição da quantidade de gengiva que cobre o dente, o que deixa as raízes expostas e os dentes aparentemente mais longos.

Esse distúrbio pode acontecer em apenas um dente, ou em vários, e piora gradativamente, trazendo consequências graves em seus casos mais avançados, como infecção, perda do dente e até danificação do osso e do tecido do maxilar.

Alguns sintomas do problema podem ser detectados, como encolhimento da gengiva, que deixa a base do dente exposta e amarelada, sangramentos regulares ao escovar os dentes e ao utilizar fio dental, aumento da sensibilidade, gengivas avermelhadas, mau hálito e dor nos dentes e gengivas.

Existem gengivas diferentes?

Não existe uma gengiva que esteja mais predisposta que outra a manifestar essa doença, mas existem dois tipos de gengiva diferentes.

Gengiva aderida ou inserida

Equivale ao tecido rosa com uma textura um pouco mais espessa que ocupa desde a linha muco-gengival até perto da coroa dos dentes e que se encontra aderido a uma espécie de membrana que recobre o osso alveolar.

Gengiva não inserida ou marginal

Equivale ao término da gengiva que circula a base dos dentes até a sua junção neles, continuando com a gengiva aderida.

Quando uma pessoa tem retração gengival os dois tipos de gengivas, tanto a gengiva inserida como a não inserida, são afetados.

O que causa a gengiva retraída?

A gengiva retraída pode ocorrer em qualquer idade e afetar, inclusive, bocas saudáveis. Suas causas podem ser variadas e é importante entender o que ocasionou o problema para uma solução eficaz e definitiva. Entre os motivos da retração gengival, estão:

  • infecção das gengivas;
  • perda dental e mau posicionamento dos dentes;
  • hereditariedade;
  • lesões provocadas por escovas de dente muito duras e cáries não tratadas;
  • alterações hormonais em mulheres;
  • uso de piercings na boca, que podem provocar lesões;
  • baixo fluxo salivar provocado por medicamentos;
  • sistema imune enfraquecido por doenças como leucemia, AIDS e tratamentos de quimioterapia;
  • bruxismo.

Além das causas citadas, fumantes e pessoas com maus hábitos alimentares estão mais suscetíveis ao problema. É importante consultar um dentista com regularidade para notar os sinais e prevenir complicações.

Quais são os sintomas?

A retração pode se manifestar a partir de uma série de sinais e sintomas, tais como:

  • mau hálito, também conhecido como halitose, é um sintoma dos casos de doença periodontal;
  • dor, em diversas intensidades, nos dentes;
  • sensibilidade excessiva nos dentes, principalmente, mediante as sensações de frio e calor;
  • aumento do espaço entre os dentes
  • maior exposição da base dos dentes;
  • pequenas hemorragias na gengiva que aumentam no momento da escovação (principalmente, casos de doença periodontal);
  • exposição visível a olho nu da raiz dos dentes;
  • sensação de que os dentes não estão firmes;
  • amarelamento dos dentes.

É de extrema importância que, ao perceber todos esses sintomas ou algum deles, o doente procure imediatamente um dentista. Quanto mais cedo o tratamento começar, menor será a necessidade de uma intervenção cirúrgica.

Nas situações em que há uma retração grave, pode mesmo ocorrer perda de um dente ou até de vários. A perda pode ser espontânea ou por extração.

Como tratar e prevenir?

A retração gengival não é uma doença, mas uma alteração da posição normal das gengivas. O tratamento pode gerar resultados satisfatórios e é possível chegar à cura. Mas é preciso procurar um dentista logo que surgirem os primeiros sintomas. O tratamento inclui a remoção das placas bacterianas e do tártaro no interior da gengiva e instruções quanto à higiene bucal do paciente.

Muitas vezes, devido à exposição da raiz do dente, o paciente pode sofrer com sensibilidade e precisará também tratar esse problema. O tratamento é feito, normalmente, com enxaguante bucal ou cremes dentais específicos para dentes sensíveis.

Em casos mais graves de retração, o profissional especializado pode sugerir uma cirurgia na gengiva, em que recobrirá a raiz exposta do dente, reposicionando a gengiva ou utilizando enxerto com tecido parecido.

O sucesso do pós-operatório depende de muitos fatores, como a gravidade do problema, a capacidade de cicatrização, o consumo de cigarros e os hábitos de higiene do paciente.

Em resumo, a prevenção pode ser feita com:

  • escovação dos dentes e utilização do fio dental de forma correta;
  • escovação dos dentes antes de dormir, mesmo que eles já tenham sido escovados após a última refeição;
  • utilização de gel e/ou enxaguante bucal com agentes antissépticos ou antimicrobianos para controle das bactérias;
  • execução da limpeza e da destartarização, além de exames regulares feitos com o dentista;
  • evitar ingerir bebidas e alimentos açucaradas quando não for possível escovar os dentes em seguida;
  • monitorar a escovação dos dentes das crianças pequenas.
  • eliminar (ou evitar) hábitos tabágicos (ser fumante), visto que é um hábito prejudicial para a gengiva;
  • evitar o uso de “piercings” orais ou fazer um acompanhamento rigoroso do acessório (verificando constantemente a sua higienização);
  • ir regularmente ao dentista para verificar todas as alterações na aparência das gengivas.

Seguir todas essas recomendações é a chave para manter a região bucal livre de uma série de doenças, não apenas da retração gengival.

Retração gengival tem cura?

Como dissemos, a retração gengival é uma doença que pode ter cura ou, pelo menos, controle dependendo das causas e do estágio da doença. O tratamento também vai variar de acordo com a gravidade da situação em questão. Para controlar ou evitar desde cedo a retração gengival, é importante consultar o dentista a fim de avaliar o andamento do problema.

Qual profissional pode realizar um tratamento eficaz?

Retração de gengiva é uma condição que deve ser tratada por um profissional da especialidade de periodontia. Entretanto, aos primeiros sinais de problema, o aconselhável é procurar uma clínica odontológica para uma avaliação e diagnóstico. Se for necessário, com certeza, o paciente será encaminhado para um especialista.

Agora você já sabe o que é gengiva retraída, quais as suas causas e como prevenir esse problema. Lembre-se sempre de manter bons hábitos de higiene e visitar seu dentista regularmente para realizar os procedimentos de profilaxia.

Quer saber mais sobre hábitos saudáveis para manter a saúde bucal? Assine nossa newsletter!

The following two tabs change content below.

Drª Talitha

A Drª Talitha de Cássia Silva Sousa tem 7 anos de atuação na área de odontologia e mais 9 anos de dedicação a área de prótese e reabilitação. Graduou-se em 2011 pela Faculdade de Odontologia de São José dos Campos — UNESP. Em 2014 tornou-se Mestre em Odontologia Restauradora, Especialidade de Prótese Dentária por meio do Programa de Pós-graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia campus de São José dos Campos. Desde 2017 cursa Especialização em Ortodontia por meio da Instituição Ortogeo em São José dos Campos, unidade de ensino FACSETE — Faculdade de Tecnologia de Sete Lagoas.
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-