Prognatismo ou queixo grande: entenda as causas e os tratamentos!

6 minutos para ler

É bem provável que você já tenha reparado que algumas pessoas apresentam uma protuberância no queixo. Esse é um problema que costuma comprometer a harmonia da face e até mesmo conferir um aspecto “raivoso” para a pessoa — um aspecto que pode parecer pouco significativo, mas costuma minar a autoestima dos envolvidos.

Entretanto, essa não é a única consequência de quem tem queixo grande (ou prognatismo mandibular, como é formalmente conhecida). A boa notícia é que existe tratamento para essa situação e os resultados costumam ser muito efetivos.

Se você ficou curioso e quer entender um pouco mais sobre a causa e os tratamentos disponíveis, então este artigo foi feito para você. Vamos juntos mais uma vez! 

Afinal, o que é queixo grande?

O prognatismo, popularmente conhecido como queixo grande, é caracterizado pelo excesso de crescimento da arcada inferior da mandíbula em comparação com a superior. Esse aspecto causa a famosa mordida cruzada e, como comentamos, altera muito a harmonia do rosto.

As pessoas que têm esse tipo de alteração costumam ter o lábio inferior maior e mais avançado, um aspecto que faz com que o queixo tenha mais volume. Além de toda essa questão estética, quem lida com essa situação costuma ter muitos desconfortos, como dor, ruídos articulares, além de dores na cabeça, ouvidos e músculos usados durante o processo mastigatório.

E tem mais: existe ainda uma dificuldade de encaixe dos dentes, o que causa também uma má oclusão. Essa, por sua vez, pode comprometer funções como a respiração e mastigação, trazendo consigo ainda mais transtornos para quem lida com essa realidade.

O que causa essa situação?

O prognatismo costuma ser associado a algumas causas mais usuais. Uma das principais delas é a má formação óssea. Seja na gestação ou ainda na infância, existem algumas alterações durante a formação dos ossos do rosto também podem favorecer essa característica. Somado a isso, a associação com os fatores hormonais e outros traumatismos podem potencializar os impactos.

A genética é outra causa que influencia diretamente na situação. Nada mais natural, já que ele interfere diretamente nos componentes da face, assim como outras questões hereditárias.

Para fechar, não poderíamos deixar de falar de alguns hábitos específicos. Adotar a prática de chupar os dedos, usar chupeta por longo período e alterações respiratórias (como a prática de respirar pela boca) são alguns exemplos que costumam influenciar no queixo grande.

Como tratar o prognatismo?

Como adiantamos, a boa notícia é que existem formas de tratamento para quem tem o queixo grande. Conheça algumas abaixo.

Ortopédico

Os aparelhos ortopédicos estão entre os mais comuns. Eles são removíveis, indolores e utilizados por muitas pessoas que apresentam o queixo grande. Eles trabalham na fisiologia da região, estimulando a correção dos ossos e músculos que atuam durante a mastigação.

Entretanto, vale destacar que o uso não deve começar de uma hora para outra. Eles devem ser indicados por um profissional que conheça as técnicas e que tenha avaliado a situação de cada paciente. Isso porque o compromisso do paciente em adotar o uso de forma frequente é um dos principais fatores que influenciam no sucesso desse tratamento. Caso seja feito da forma recomendada, essa ação costuma trazer ótimos resultados, mesmo na fase de vida adulta.

Ortodôntico

Quando o diagnóstico acontece precocemente, o tratamento pode acontecer com a ajuda de aparelhos ortodônticos. Eles são muito comuns, seja para movimentar os músculos ou ainda para preparar a região para uma possível cirurgia (que trataremos a seguir).

No caso das opções fixas (que devem ser usados em pacientes que já apresentam a dentição permanente), ele ajuda a compensar a inclinação do dente, buscando assim o encaixe adequado das arcadas.

Cirurgia ortognática

Como falamos, o uso dos aparelhos nem sempre consegue resolver a situação. A cirurgia ortognática é mais uma alternativa de tratamento disponíveis, que normalmente acontece de forma complementar ao uso do aparelho. O aparelho fixo ajuda no alinhamento e preparo dos dentes para fazer com que eles se encaixem depois da cirurgia.

Nesse caso, o procedimento visa reposicionar a maxila, podendo ainda contemplar uma redução da mandíbula, caso seja necessário. Ele é feito no hospital, com toda a segurança necessária, e corrige várias questões de uma só vez, como a mastigação, fala, respiração e harmonia da face. Ela é mais indicada para casos com diagnósticos tardios ou de maior complexidade.

Existe algum tipo de prevenção?

Para fechar esse post, não poderíamos deixar de abordar uma forma de prevenção para essa situação. A principal delas envolve um acompanhamento periódico com o dentista, tendo em vista que ele pode perceber os problemas ainda no início e seguir com uma intervenção pode acontecer no começo do problema.

Caso ele perceba que os dentes anteriores inferiores começam a fechar na frente dos superiores, o tratamento pode acontecer ainda no início da situação, tudo como um reflexo de uma avaliação precoce. Além de evitar a situação, vale destacar que os resultados são mais duradouros nesse caso, já que os ossos da mandíbula se desenvolvem até o final da adolescência e a situação pode se agravar caso não haja tratamento.

Os pais podem ser grandes aliados nesse sentido, já que podem observar se os pequenos projetam a mandíbula para frente. Tenha em mente de que esse é um aspecto pode comprometer o desenvolvimento da região. Por isso, procure um profissional capacitado para seguir com os tratamentos conforme a sua necessidade particular. Essa é uma forma de garantir mais qualidade de vida e, de forma complementar, ter mais confiança na sua imagem pessoal.

Outra forma de prevenção envolve a adoção de uma amamentação natural, além de evitar o hábito de sucção de dedos ou chupeta, principalmente por muito tempo. Acredite: todos esses aspectos fazem muita diferença!

Depois de ler este artigo completo e entender um pouco melhor sobre o que é queixo grande, as causas e tratamentos para essa situação, esteja atento. Avalie a sua necessidade pessoal e, claro, esteja atento aos sinais que podem existir na vida dos seus filhos e quem você ama.

Para continuar acompanhando outros materiais que temos produzido, siga a nossa página nas redes sociais. Estamos no Facebook, Instagram e Twitter. Nos encontramos por lá! 

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-