O dente de leite está demorando muito para cair? Saiba o que fazer!

6 minutos para ler

Não tem como fugir: cedo ou tarde chega o momento de trocar o dente de leite pelo permanente. Depois de muito tempo com o os dentes decíduos, o processo natural envolve a queda e aberta de espaço para a nova dentição.

Ainda assim, alguns pais entram em desespero quando percebem que a troca está demorando para acontecer, principalmente quando os coleguinhas do filho já começaram a trocar.

Para entender um pouco mais sobre o assunto, não deixe de ler o post de hoje e ficar por dentro do tema. Vamos juntos nessa?

Qual a importância do dente de leite?

Os dentes decíduos nascem quando a criança ainda é muito pequena. Em alguns casos, os primeiros sinais começam a aparecer aos seis meses. Para quem não sabe, ter os dentes nesse período da vida é fundamental e vai muito além da mastigação em si. Eles ajudam a desenvolver os maxilares e os músculos da face. Somado a isso, eles também ajudam na respiração, deglutição, mastigação e fonação.

Quando o dente deve cair?

O dente permanente começa a “apontar” mais ou menos aos seis anos, mas essa idade pode variar entre os cinco até os sete anos. Esse é um processo muito importante e mais comum para a maioria dos casos, pois é o apontamento do dente permanente que cria um processo de erupção e provoca a queda do dente de leite.

Mas pode ser que o dente de leite não caia nessa situação, o que pode atrapalhar seu posicionamento correto. A troca completa envolve 20 dentes de leite e pode durar até os 12 anos de idade para ter o fim completo.

Como agir quando os dentes demoram a cair?

Quando o dente de leite demora a cair por conta própria, o mais recomendado é levar a criança ao dentista, pois ele pode fazer a remoção no momento certo e facilitar que o dente permanente cresça e se posicione de forma adequada.

Os pais e envolvidos devem ter muita calma quando os dentes de leite demoram um pouco além do normal para cair. Isso porque um contexto de apreensão e medo pode atrapalhar ainda mais o processo, já que a criança passa a lidar com a dificuldade.

Nessa situação, é preciso que os adultos considerem o aspecto emocional dos pequenos. A troca do dente é muito significativa para eles, pois simboliza o amadurecimento que muitos deles esperam. Como as crianças esperam ansiosamente por esse momento, então é bom agir com calma.

Caso o dente já esteja mole, então é bom lembrar que o recomendado é não arrancar. Por mais que muitas pessoas pensem o contrário e até achem que é necessário agilizar o procedimento, isso não é nada bom.

Da mesma forma, é bom evitar mexer o dente de leite com a mão ou fazer outros movimentos que acelerem sua queda. O mais recomendado é que o processo aconteça de forma natural, pois só assim ele é feito no momento correto. 

O que pode atrapalhar a troca?

Existem alguns fatores que podem promover um atraso na troca dentária.

Genética

A hereditariedade tem mais influência em nossas vidas que muitos de nós imagina. Portanto, os pais que tiveram a erupção dentária mais tarde, por exemplo, podem ter que lidar com os filhos na mesma situação. Ainda assim, é bom lembrar que não há nada de anormal nesse caso.

Fatores locais

A localização da criança também pode interferir na troca do dente de leite. Aqueles que vivem em zonas rurais, por exemplo, costumam trocar de dente mais tarde que aqueles que estão localizados em grandes centros urbanos.

Além disso, outro ponto que pode influenciar é o clima. Lugares com temperaturas mais baixas pode ter crianças que trocam de dente mais tardiamente, enquanto climas mais tropicais podem adiantar um pouco o processo. 

Questões de gênero

O gênero também pode ser um fator de atraso na troca. De forma geral, os meninos costumam apresentar a troca de dentição um pouco mais tarde, já o organismo das meninas amadurece mais cedo.

Alimentação

Crianças que se alimentam de muitos processados e outros tipos de alimentos que não exigem muito esforço mastigatório também podem perceber a diferença. Como não existe muito esforço, então é natural que a erupção aconteça com atraso. Isso acontece porque a alimentação influencia na troca de dentição. 

Condições bucais

Existem outros fatores que podem influenciar, entre eles a gengiva fibrosa, ausência de dentes permanentes, nutrição, lesão nos dentes de leite e outros fatores desse tipo. Tudo isso deve ser considerado  e analisado por um dentista para entender qual é a real causa do atraso na troca.

Além disso, é importante monitorar para que a perda não seja muito tardia, já que isso pode provocar desvios na mordida e até mesmo uma má oclusão na dentição permanente.

Como lidar com a situação?

A melhor alternativa para esses casos envolve o envolvimento de um cirurgião dentista. Ele é um especialista e pode ajudar a identificar quais as possíveis causas no atraso da perda dos dentes de leite.

Além disso, um profissional capacitado é a pessoa mais recomendada para analisar o quadro e indicar o tratamento necessário. O aparelho ortodôntico é uma alternativa muito comum, mas só um especialista pode dizer se é mesmo recomendado.

A dentição permanente conta com 32 dentes, então é importante cuidar para que todos eles nasçam de forma saudável. Os dentes têm um papel muito importante no organismo, então é fundamental investir em uma boa higienização e garanti que a saúde bucal esteja em dia. 

Agora você já sabe mais sobre a importância do dente de leite, quando ele deve cair, quais as principais soluções e fatores que podem levar ao atraso dessa queda! Por fim, é importante reforçar que uma correta higienização dental e a visita regular ao dentista são as principais formas de assegurar mais saúde para todo o organismo.

Se você precisa do suporte de um profissional especializado, então conte com a nossa ajuda! A Qualimplan conta com um time pronto para ajudar você. Entre em contato conosco pelo nosso site e conheça nosso trabalho!

The following two tabs change content below.

Drª Talitha

A Drª Talitha de Cássia Silva Sousa tem 7 anos de atuação na área de odontologia e mais 9 anos de dedicação a área de prótese e reabilitação. Graduou-se em 2011 pela Faculdade de Odontologia de São José dos Campos — UNESP. Em 2014 tornou-se Mestre em Odontologia Restauradora, Especialidade de Prótese Dentária por meio do Programa de Pós-graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia campus de São José dos Campos. Desde 2017 cursa Especialização em Ortodontia por meio da Instituição Ortogeo em São José dos Campos, unidade de ensino FACSETE — Faculdade de Tecnologia de Sete Lagoas.
Você também pode gostar

4 comentários em “O dente de leite está demorando muito para cair? Saiba o que fazer!

  1. Minha filha Emíly está com 6 aninhos e está com os dentes superiores da frente moles e ela não deixa tirar .Como devo proceder uma vez que já fomos a dentista tiramos uma panorâmica e os dentes permanente já estão esperando para nascer

    1. Ola Catia, que bom que nosso blog pôde ajudar você com sua filhinha Emily. O ideal é que você procure um odontopediatra, esse é o especialista em crianças que poderá dizer se é necessário realizar a extração dos dentes decíduos nesse momento. Não deixe de procurar um especialista essa decisão te deixará mais segura e confiante em fazer a melhor escolha.

  2. Olá, eu tenho uma dúvida. Tenho 16 anos e meu canino ainda está intacto, eu feri minha gengiva recentemente e apareceu um precinho de um dente e estou na dúvida se pode ser ou não um dente permanente. Tem alguma possibilidade de ele nascer agora mesmo eu tendo 16 anos?

    1. Ola Ana Clara. Nesse caso existem algumas possibilidades, ou você está com um dente decíduo (dente de leite) e o canino permanente está apontando ou até pode ser o caso de um dente supranumerário. Esses casos podem acontecer em qualquer idade, por este motivo você precisa buscar um ortodontista para que possamos pedir a você um exame de radiografia e/ou documentação ortodôntica e assim poder te dar o diagnostico e melhor plano de tratamento.

Deixe uma resposta

-