Quer conhecer as causas e os tratamentos da gengiva escura? Confira aqui!

7 minutos para ler

Você tem o hábito de observar a aparência da sua gengiva? Se não, deveria passar a adotá-lo. É que a saúde bucal vai além do aspecto dos seus dentes — ela também envolve a região gengival. Por tocar nesse assunto, você já ouviu falar na gengiva escura? Trata-se da presença de manchas nesse tecido.

Chamado também de gengiva preta ou gengiva roxa, esse sintoma merece muita atenção. Afinal de contas, ele pode ser o indicativo de problemas na região bucal — de uma simples gengivite a um grave câncer de boca. Por isso, qualquer alteração no tecido é motivo para agendar uma consulta com o dentista.

Neste artigo, vamos mostrar quais são as principais causas da gengiva escura, as formas de tratamento e prevenção. Acompanhe!

Devo sempre me preocupar com a gengiva escura?

Depende. Em primeiro lugar, devemos esclarecer que o aparecimento de manchas gengivais é derivado principalmente da produção excessiva de melanina. Logo, grande parte das pessoas que têm uma quantidade maior desse pigmento na pele também apresenta a gengiva mais escura.

Sendo assim, essa característica nem sempre é motivo de preocupação. É preciso, portanto, saber distinguir quando a região está doente ou, simplesmente, é naturalmente mais pigmentada. À exceção disso, você deve, sim, ligar o sinal de alerta caso a sua gengiva apresente uma coloração diferente.

Em geral, isso acontece por falta de higienização bucal adequada. Por conseguinte, doenças orais podem surgir, de modo que a gengiva preta manifesta-se como um sintoma de tais enfermidades. Algumas delas, inclusive, se deixarem de ser tratadas, levam à perda de dentes — como ocorre com pacientes que sofrem de periodontite, por exemplo.

Quais são as causas de manchas na gengiva?

A gengiva escura pode ser provocada por doenças na região bucal ou até mesmo por mau hábito de saúde. Veja, a seguir, quais são as principais causas desse sintoma!

Gengivite

É a inflamação na gengiva, quadro que provoca vermelhidão e sangramento durante a escovação ou o uso do fio dental depois de um intervalo sem utilizá-lo. A doença surge devido à proliferação de bactérias que migram dos dentes para a área gengival quando a higienização não é feita de forma adequada.

A gengivite está associada ainda a alterações hormonais, consumo de álcool e cigarro, estresse, diabetes e ingestão de medicamentos.

Em geral, o tratamento da doença envolve a atenta higienização bucal e a limpeza dentária realizada por profissional especializado. Determinados medicamentos podem ser receitados para acelerar a recuperação. A melhor maneira de preveni-la é mantendo a escovação dos dentes após as refeições e utilizando o fio dental ao menos uma vez ao dia, preferencialmente antes de dormir.

Periodontite

Se não tratada, a gengivite pode levar à periodontite, uma inflamação que atinge o interior da gengiva. Nesse caso, a formação e a ação de placa bacteriana fragilizam os tecidos e favorecem a separação da dentição. Intervalos e sulcos gerados entre os dentes ocasionam o ingresso das bactérias nas partes mais profundas — elas podem, até mesmo, acessar a corrente sanguínea e ser transportadas para todo o organismo.

Há o risco de o tecido necrosar e os dentes caírem. Os principais sintomas da periodontite são: amolecimento da dentição, dores na região, sangramento, vermelhidão, inchaço, retração da gengiva e mau hálito. O tratamento é iniciado com a limpeza e o controle da inflamação, seguidos da recuperação dos tecidos afetados. Para tanto, é preciso realizar a cirurgia de recomposição óssea e gengival, mas nem sempre os danos podem ser totalmente revertidos.

Tabagismo

O cigarro causa uma série de malefícios ao nosso organismo e à saúde bucal. Entre eles, o mau hálito, a redução do fluxo de saliva e o câncer de boca. De acordo com um estudo realizado pela Universidade de São Paulo, o tabaco aumenta em até sete vezes o perigo de o indivíduo vir a ter periodontite. Tal hábito, portanto, também pode ocasionar a gengiva escura.

Existem algumas estratégias para as pessoas que desejam parar de fumar. Uma delas é ir diminuindo o consumo de cigarros aos poucos e agendar uma data para a parada definitiva. Durante o período de abstinência, o ideal é recorrer a pequenas porções de alimentos ao longo do dia, preferencialmente pouco calóricos, e a gomas de mascar livres de açúcar.

Também é importante manter a hidratação durante todo o dia e praticar atividade física, pois os exercícios liberam serotonina e endorfina, hormônios que geram a sensação de bem-estar e reduzem a ansiedade. Tarefas consideradas terapêuticas — artesanato, por exemplo — são fortes aliadas nesse momento. Outra dica é guardar o dinheiro que você gastaria com cigarro para investir em algo de que goste, como um passeio.

Melanoma bucal

O melanoma bucal é um tipo grave de câncer. Isso porque ele é resistente ao tratamento e tem grandes chances de evoluir para uma metástase. A doença surge quando as células de melanina, as quais produzem a pigmentação da pele, tornam-se cancerígenas. Por ser silenciosa, requer a observação minuciosa do paciente.

A origem do melanoma bucal não está esclarecida, mas é associada ao histórico familiar da doença, síndromes e mutações dos genes supressores de tumor, por exemplo. Comumente, a enfermidade gera manchas pigmentadas de diferentes cores — do vermelho ao roxo, do cinza ao negro. Elas podem ser maculares ou ulcerativas, únicas ou múltiplas. Ainda, primárias ou metastáticas, com bordas irregulares ou assimétricas.

Na maior parte dos casos, o melanoma atinge o palato (região côncava e superior da cavidade bucal) e a gengiva maxilar. Com o agravamento da doença, surgem dor, sangramento, mobilidade dos dentes e aumento das manchas. Em geral, o tratamento consiste na intervenção cirúrgica. Já a prevenção envolve a observação constante da área oral por parte dos pacientes e as visitas regulares ao consultório odontológico.

Tatuagem por amálgama

Outra causa da gengiva preta é a tatuagem por amálgama. Já ouviu falar? Amálgama era o material de cor prata utilizado antigamente na obturação dos dentes danificados por cáries. Ele era empregado principalmente na dentição localizada no fundo da boca. Pois é, hoje as restaurações são imperceptíveis, mas nem sempre foi assim.

A boa notícia é que, nesse caso, não é preciso realizar tratamento algum. Porém, por uma questão estética, você pode verificar com o seu dentista a possibilidade de fazer uma cirurgia de excisão. Vale lembrar que apenas o profissional especializado tem condições de investigar a causa do surgimento de manchas em sua gengiva e seguir com a abordagem mais adequada.

Agora, sim, você sabe quais são as causas e formas de tratamento da gengiva escura. É importante ressaltar que uma das principais maneiras de prevenir o problema é mantendo a higienização bucal em dia. Logo, não vacile nesse quesito nem deixe de visitar com regularidade o seu dentista. Afinal, esse hábito precisa ser adotado por quem deseja preservar a saúde dental.

Já tinha ouvido falar na gengiva escura? Ficou com alguma dúvida ou gostaria de acrescentar algo? Sinta-se à vontade para deixar seu comentário no espaço abaixo!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-