Entenda melhor sobre os tipos de prótese dentária

4 minutos para ler

É bem provável que você já tenha ouvido falar sobre a prótese dentária. Nada mais natural, já que ela se firmou como uma das melhores alternativas para substituir a perda de um dente e manter a autoestima lá em cima.

Ainda assim, poucas pessoas sabem que existem muitos tipos de prótese dentária e que eles podem ser colocados segundo o perfil e a necessidade de cada paciente. Ficou curioso? Então entenda neste post sobre os diferentes tipos existentes e quando cada um deles é mais indicado.

Prótese parcial removível

Esse talvez esteja entre os modelos mais comuns e você já deve ter visto ou conhecer alguém que use esse tipo de prótese. Para que seja feito da maneira correta o paciente tem que ter alguns dentes, pois eles funcionam de apoio. Assim, essa prótese é colocada com alguns conectores e grampos, uma medida que garante a segurança do dente e faz com que ele não caia.

Outra vantagem dessa opção é a fácil manutenção, pois os pacientes costumam relatar facilidade na higienização e cuidados com a boca. Como pode ser retirada com facilidade, é natural que a região possa ser limpa facilmente.

Prótese totalmente removível

Essa prótese é popularmente conhecida como dentadura e, como o próprio nome indica, pode ser completamente retirada. Ela é indicada em casos mais drásticos, como quando o paciente perdeu todos os dentes ou ao menos grande parte deles.

Para isso, uma estrutura móvel é formada e os dentes são substituídos por esse modelo. Ainda assim, tudo é feito com muito planejamento, sempre considerando as características dos dentes naturais do paciente para que não destoe tanto. 

Como você deve imaginar, ela é bem fácil de ser instalada, mas é bom que o paciente tenha segurança para usar — pois muitos ficam com medo de perderem a prótese e ficarem “banguelas”.

Prótese totalmente fixa

Essa prótese dentária pode ser usada apenas para um dente (quando ele acaba se perdendo pelas mais diversas razões) ou até mesmo para mais de um deles. Mesmo assim, o dentista deve fazer todos os tratamentos necessários (inclusive os de canal) para depois cimentar e prosseguir com a implantação da prótese.

Como o próprio nome indica, esse é um modelo que não sai ou é removível, mas é totalmente preso à arcada dentária. O modelo é conhecido como coroa ou ponte e garante uma ótima estética ao sorriso.

Prótese flexível

Esse modelo surgiu como uma alternativa recente e tem como objetivo atender a uma demanda das próteses removíveis. Como a resina utilizada nele tem um perfil mais flexível, é natural que não exista a estrutura comum para prender a prótese, como os grampos. Essa é uma ótima alternativa para pacientes mais idosos, pois garante mais maleabilidade em casos de reabilitação.

Implante retentor

A prótese fixa também pode precisar contar com um suporte: o implante retentor. Ele é feito de uma forma ainda mais elaborada, já que são instalados no osso maxilar para só então receber a prótese. Essa é uma maneira de fazer com que o dente funcione com uma raiz, dando ainda mais segurança para quem adota o uso. Seu aspecto também é muito parecido com o dente original, um ponto muito importante.

Os implantes retentores são recomendados quando não é possível utilizar a prótese dentária — ou caso ela traga muito desconforto. De qualquer forma, é bom tomar cuidado, pois a higienização não é muito fácil e o paciente precisa se dirigir ao dentista para fazer a limpeza com frequência.

Depois de conhecer os diversos tipos de prótese dentária, não se esqueça de procurar a ajuda de um cirurgião dentista. Como é um especialista, ele vai fazer uma avaliação criteriosa e garantir será adotado o modelo ideal para você.

Se você gostou das nossas dicas e quer continuar acompanhando nossos materiais sobre a saúde bucal, não perca tempo e assine a nossa newsletter agora mesmo. Assim, você garante que receberá nossos conteúdos diretamente no seu e-mail. 

 

 

The following two tabs change content below.

Drª Talitha

A Drª Talitha de Cássia Silva Sousa tem 7 anos de atuação na área de odontologia e mais 9 anos de dedicação a área de prótese e reabilitação. Graduou-se em 2011 pela Faculdade de Odontologia de São José dos Campos — UNESP. Em 2014 tornou-se Mestre em Odontologia Restauradora, Especialidade de Prótese Dentária por meio do Programa de Pós-graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia campus de São José dos Campos. Desde 2017 cursa Especialização em Ortodontia por meio da Instituição Ortogeo em São José dos Campos, unidade de ensino FACSETE — Faculdade de Tecnologia de Sete Lagoas.
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-