[AGO/19] Bruxismo e implante dentário: quais os cuidados mais importantes?

3 minutos para ler

O implante dentário é o sonho de consumo de muitas pessoas que perderam os dentes. Nada mais natural, já que é um excelente aliado quando o assunto é recuperar a estética do sorriso e outras funções importantes que a falta de um dente pode comprometer.

Ainda assim, a situação é um pouco mais complicada para pacientes com bruxismo. Como eles têm o hábito de ranger os dentes com frequência, podem acabar dificultando a cicatrização e o sucesso do procedimento.

A boa notícia é que tudo pode ser evitado com alguns cuidados importantes. Se você quer saber quais são eles e como tornar a relação entre o bruxismo e implante dentário um verdadeiro sucesso, leia este artigo até o final!

O que é bruxismo, afinal?

O bruxismo é caracterizado pelo hábito de ranger ou apertar os dentes. A prática pode acontecer no decorrer do dia ou durante o sono, mas é mais comum na segunda ocasião. Os médicos ainda não entendem o que pode causar essa situação, mas as possíveis razões envolvem sentimentos emocionais (como ansiedade e estresse), alinhamento anormal dos dentes e apneia do sono.

A forma mais comum de diagnóstico envolve uma análise da dentição, já que ela pode acabar desgastada pela prática — principalmente com o passar dos anos. Nesses casos, a melhor maneira de tratar a situação envolve o uso de uma placa projetada para manter a mandíbula mais relaxada — mas também existem outras alternativas, como a aplicação de toxina botulínica e laserterapia.

Como ele pode afetar um implante dentário?

O bruxismo pode dificultar os tratamentos desse tipo, pois o contato entre as superfícies e o choque entre os dentes aumenta o risco de fraturas. Assim, a prótese pode ficar sobrecarregada e sofrer trincas.

As reações também podem ser distintas dependendo do tipo de implante que foi realizado. Caso ele tenha um núcleo metálico não nobre (como níquel e cobalto), os impactos podem atingir diretamente a raiz dentária. Por isso, é importante tomar cuidado para que isso não comprometa o sucesso do procedimento.

O que fazer caso tenha bruxismo e precise realizar o procedimento?

Agora que você já sabe que o bruxismo pode comprometer o implante, pode ser que esteja se perguntando como agir nesse caso, certo? A verdade é que não precisa desistir de um procedimento desse tipo, mas sim adotar certos cuidados. Conheça alguns deles, a seguir:

  • utilização de pinos protéticos (em fibra de carbono ou vidro);
  • redução o tamanho da mesa oclusal em próteses;
  • eliminação dos contatos múltiplos entre as próteses de porcelana e dentes naturais;
  • utilização de implantes dentários mais largos;
  • ajuste adequado da mordida;
  • uso da placa para o bruxismo;
  • controle do desgaste feito sobre as restaurações de resina;
  • substituição da resina em restaurações dentárias extensas por porcelana.

Agora que você entende um pouco mais sobre a relação entre bruxismo e implante dentário, esteja atento e não abra mão do acompanhamento especializado. Ele é um diferencial em tratamentos desse tipo, já que oferece o suporte de que você precisa e, de quebra, aumenta as chances de que o procedimento seja bem-sucedido.

Se você está pensando em seguir com o tratamento, mas ainda não tem um dentista confiável, venha nos conhecer: agende uma consulta e faça uma avaliação conosco!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-