Adquirimos alguns problemas bucais no decorrer da vida, enquanto possuímos outros desde o momento em que nascemos. Se não tomarmos o devido cuidado, eles acabam desenvolvendo-se para quadros piores.

Felizmente, no entanto, muitos procedimentos vêm avançando na área da odontologia, e situações que antes eram difíceis de ser resolvidas, hoje, com o auxílio da tecnologia podem ser facilmente reparadas a partir de procedimentos inovadores e versáteis, como a frenectomia.

Poucas pessoas sabem o que é frenectomia e nem imaginam que ela pode ser extremamente útil, dependendo do quadro clínico presente. Confira com a gente as principais informações sobre o processo e fique por dentro do assunto!

Conhecendo melhor a frenectomia

Primeiramente, é importante esclarecer que na nossa boca existem dois tipos de freios — as fibras responsáveis por sustentar algumas regiões bucais e dar mobilidade a outras. Esses freios são chamados “freios labiais”, localizados na parte superior e inferior do lábio, e “freios linguais”, inseridos no assoalho da boca e ligados à língua.

A frenectomia é o procedimento operatório em que um desses dois tipos de freio é cortado ou parcialmente removido, utilizado em diversas situações em que eles estejam interferindo de alguma forma nas funções básicas sobre a região bucal.

Casos em que a cirurgia é indicada

A frenectomia é extremamente versátil e pode ser feita em qualquer idade.

A frenectomia labial, por exemplo, costuma ser realizada em pacientes com diastema interincisivo, ou seja, que apresentam os dentes incisivos centrais separados. Essa separação se deve à presença da membrana do freio, que interfere no crescimento dentário correto.

Além disso, a incisão dos freios labiais é indicada para pacientes que utilizam aparelho dentário ou prótese (quando o tratamento tem interferência do freio) e para aqueles com dificuldade de movimentar os lábios, têm problemas fonéticos, apresentam falta de tecidos queratinizados ou sentem-se mal esteticamente, principalmente ao sorrir.

Por outro lado, a frenectomia lingual ocorre quando as fibras do freio são muito curtas e atrapalham a fala, podendo obstruir total ou parcialmente a mastigação ou causando lesões em regiões do assoalho bucal.

Principais tipos de cirurgia

Existem dois métodos cirúrgicos que sustentam a frenectomia, sendo um deles o convencional e o outro a laser.

A operação convencional consiste em pequenas incisões feitas com bisturi ou sucções do freio com o intuito de remover a membrana fibrosa de maneira total ou parcial. Os tecidos moles são suturados com pontos absorvíveis ou não reabsorvíveis, dependendo de cada caso.

A operação a laser costuma ser mais rápida e é efetuada com o auxílio de um bisturi elétrico, permitindo a coagulação e a cicatrização no momento da cirurgia, dispensando, dessa forma, a necessidade de pontos.

É importante salientar que, muitas vezes, mesmo com a cirurgia, o uso de aparelhos ortodônticos se torna necessário, pois os efeitos só aparecem com o tempo ou quando associados a outros tipos de tratamento.

A cirurgia tem preço relativamente baixo, variando de acordo com o método cirúrgico utilizado e com o nível do quadro apresentado, dependendo, portanto, da avaliação do profissional especializado.

Riscos e cuidados do pós-operatório

Felizmente, a frenectomia é um procedimento que apresenta poucos riscos, podendo resumir-se a dor local e pequenas hemorragias. Se bem higienizado e devidamente tratado, o local fica livre de possíveis infecções, não apresentando grandes riscos.

No entanto, é importante que o paciente leve a sério o pós-operatório para que a recuperação seja a melhor possível. Para tanto, é recomendado que nos primeiros dias após a cirurgia evite comer alimentos duros ou muito quentes. A escovação deve ser feita com escova de cerdas macias e associada ao uso de fio dental e enxaguantes bucais.

Em caso de muita dor, o dentista pode receitar analgésicos e anti-inflamatórios de uso oral ou tópico.

A frenectomia é uma cirurgia com ampla utilização e grande eficácia, sendo utilizada por diversos cirurgiões dentistas e em diversas situações. Felizmente, além do baixo custo, o procedimento apresenta poucos riscos e rápida recuperação do paciente, sendo, além de tudo, muito segura.

Gostou do nosso texto? Para esclarecer dúvidas ou para conhecer mais sobre esse e outros assuntos, entre em contato conosco!