Tratamento de canal: tudo o que você precisa saber

tratamento de canal
6 minutos para ler

Você sabia que 16 milhões de brasileiros vivem sem nenhum dente na arcada dentária? Antes, era comum a remoção completa, incluindo de objetos dentais saudáveis, quando alguns deles apresentavam problemas — eles eram substituídos por próteses totais convencionais (dentaduras). Atualmente, até mesmo o dente que apresenta dor profunda pode ser salvo sem a remoção, e sim com um simples tratamento de canal.

Apesar de comum, há quem ainda tenha dúvidas sobre a eficácia do tratamento. Mas para quem tem pavor do “motorzinho” do dentista, é também um momento de receio. Hoje, a técnica é muito mais eficaz pois conta com materiais e recursos muito mais resistentes, proporcionando um resultado superior e natural.

Entenda o que é e como é feito o tratamento de canal:

O que é tratamento de canal?

É um procedimento quando a polpa dental está inflamada (com inchaço e dor), infeccionada (atingida por micro-organismos) ou morta, mas ainda é possível evitar que um objeto dental deteriorado não seja perdido. Além da cárie profunda, o tratamento de canal é muito utilizado em pacientes com fratura dentária e traumas. Nesse processo, o endodontista (responsável por lidar com problemas da cavidade pulpar) remove a polpa inflamada do dente, desinfeta o local e preenche com um material específico em formato de cone.

Em alguns casos, o endodontista utiliza um pino de metal ou fibra para deixar a estrutura dental mais resistente. Mas isso só é necessário em dentes muito comprometidos.

Polpa do dente e canal

Localizada no interior do objeto dental, a polpa é um tecido mole onde estão localizados os nervos e vasos sanguíneos. É uma região que se estende da coroa até a raiz na mandíbula ou maxila. Por ser bastante vascularizada e sensível, qualquer lesão que a alcance provoca uma dor muito aguda. A dor, aliás, pode se irradiar pela face, e a lesão pode se transformar em sensação de latejamento e até em um inchaço.

Dentes saudáveis e saúde do organismo

Como a polpa é uma região com vasos sanguíneos, ela acaba se tornando porta de entrada para micro-organismos infecciosos quando está exposta. Então, quando não tratada a tempo, as bactérias ali presentes podem passar para a corrente sanguínea e infectar outros órgãos.

Um exemplo é a endocardite bacteriana, inflamação que afeta válvulas e o tecido que reveste o coração. Aqui, as bactérias da cárie passam pela circulação sanguínea e chegam ao coração, onde se acumulam e provocam inflamações. Infelizmente, a endocardite é um agravante para quem já sofre com patologias cardíacas e pode ser fatal. 

Outros problemas relacionados à má higiene bucal são a pneumonia, artrite reumática e diabetes.

Quando o tratamento de canal é necessário?

Veja em quais casos o tratamento é indispensável para a recuperação do dente:

Cárie em estágio avançado

Quando a cárie não é tratada a tempo, acaba destruindo o esmalte e a dentina. Como consequência, atinge a polpa do dente, deixando-a inflamada ou infeccionada. Nesses casos, o principal sinal de alerta é a dor. 

Degeneração avançada

Ocorre quando o trauma, a fratura ou a cárie provoca a “morte” da polpa. 

Trauma severo

Uma pancada muito forte no dente também pode degenerar por completo a polpa. Nesse caso, é comum que o dente fique escurecido. Se a polpa continuar saudável, mas a lesão fizer com que o nervo fique exposto, o tratamento de canal também será necessário.

Pino intracanal ou prótese fixa

Quando um problema compromete a estrutura dental e o endodontista precisa colocar um pino ou prótese, o dente passará pelo tratamento de canal antes do procedimento.

Como é feito o tratamento de canal?

Informação é sempre importante. Saber como um procedimento é feito costuma deixar o paciente mais tranquilo. Afinal, ele estará ciente sobre tudo o que o endodontista fará.

Veja, então, com detalhes como é feito o tratamento de canal.

Acesso

O endodontista aplica a anestesia local. Mas para começar o procedimento, precisa ter acesso à polpa para fazer a remoção. Para isso, usa a caneta de alta rotação (o famoso “motorzinho”) e faz uma abertura que vai da coroa do dente até a câmara da polpa.

Remoção da polpa

A polpa inflamada/infeccionada/morta é removida com limas especiais. Aliadas a ferramentas de irrigação, elas vão limpar, descontaminar, alargar e modelar o espaço para a recepção do material preenchedor.

Obturação

Neste momento, o dente é preenchido com um cone de material permanente chamado guta-percha, que auxilia o dente a se manter livre de infiltrações e infecções. 

Reconstrução

É o momento da reconstrução da coroa do dente. Para isso, o endodontista coloca um material de preenchimento temporário logo acima da guta-percha. Então, será substituído por uma restauração ou coroa, que simula a estrutura natural de um dente, fixada com cimento.

O tratamento de canal dói?

É clichê, mas a dor é algo relativo — principalmente em uma região sensível, como a polpa do dente. No geral, o tratamento de canal proporciona o mesmo incômodo que uma restauração: uma dor mínima, que passa logo após o fim do procedimento. 

O problema, no entanto, não está no tratamento, e sim no tempo de infecção. Quanto mais o paciente demora para procurar um endodontista, maior o problema fica. Além disso, é possível encontrar mais estrutura dental para um tratamento de canal mais eficiente. 

Se o dente estiver com uma cárie em estágio avançado, por exemplo, ela vai se aprofundar por toda a estrutura dental até que, infelizmente, não tenha mais salvação. Portanto, quem deseja parar de sentir dor precisa procurar um profissional assim que sentir um incômodo.

Pós-tratamento de canal

Após o tratamento de canal, é normal que haja alguma dor ou sensibilidade. Para cessá-la, o endodontista vai recomendar um analgésico, mas se o problema persistir, procure pelo profissional responsável ou dentista de confiança.

No geral, o paciente poderá voltar à rotina em poucas horas. No entanto, é preciso seguir à risca as orientações do profissional responsável pelo tratamento de canal.

Outros fatores essenciais pós-tratamento são:

  • não mastigue em cima do dente com restauração temporária. Evite até a finalização do procedimento;
  • cuidado quando for comer: após a anestesia, é normal que o paciente acabe mordendo a bochecha durante a mastigação;
  • continue visitando o dentista, pois se o paciente mantiver os cuidados necessários, terá o dente saudável pela vida inteira.

Como visto, o tratamento de canal é uma solução efetiva para dentes afetados com traumas, lesões e, principalmente, cáries profundas. Uma correta limpeza evita este último problema facilmente. Então, veja como fazer a higienização bucal corretamente!

The following two tabs change content below.
Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-